domingo, 26 de fevereiro de 2017

Eclpse solar - Processo de Purificação

Estamos, enfim, chegando ao fim de um ciclo de dois mil anos, em que por um longo tempo vimos nos curando, nos purificando das velhas crenças, padrões cármicos e marcas genéticas/implantes que nos mantiveram escravizados em uma realidade limitada e sombria. Por isso que o ciclo dos últimos nove anos foi uma etapa de liberação muito intensa, que não pode ser comparada com as anteriores.

Esse eclipse – principalmente para as novas almas que estão acessando esta jornada – será um processo de purificação sem precedentes. Porque, é finalmente com esse eclipse solar, a 8 graus do etéreo signo de Peixes, o último até os próximos dezoito anos, que passamos da escravidão para a liberdade, por finalmente deixar para trás a Era de Peixes e entrar na emancipadora Era de Aquário.

Neste momento, as energias dos eclipses, vão alterar de modo profundo os campos magnéticos da Terra. É por isso que os Guardiães estarão ocupados ancorando as frequências que se originam desses portais estelares, enquanto os estabilizadores, por exemplo, o meu papel, será de ancorar o equilíbrio.

Esta é uma Nova Era de cocriação consciente. Nesta nova oitava superior de amor, em que estamos navegando. Já não buscamos do lado de fora, o que sabemos que só se encontra internamente.

Neste novo ciclo cósmico, aprendemos dessa Era de Peixes, passada, quem verdadeiramente somos por natureza, pela lembrança da alma, e estamos prontos para ir além das manipulações tridimensionais (inclusive aquelas que criamos inconscientemente para nós mesmos) e acolher uma nova jornada livre de limitações e medo.

Lembrem-se, meus amados, trabalhamos em uníssono – como iguais – não contamos mais com as forças ou seres externos para nos orientar, porque nos tornamos os nossos próprios mestres e curadores.

Isso não quer dizer que não precisaremos de confirmação e ajuda, porque não podemos viver isolados, mas agimos como seres soberanos, responsáveis pela própria experiência, em vez de sermos meras vítimas, governadas por circunstâncias externas. Isso porque agora nos lembramos de nossa Essência Divina e da unidade com o Todo, percebendo que somos feitos dos mesmos amor, luz e sabedoria que anteriormente buscávamos nos outros.

Nesta etapa intensa, acolham a verdade, independentemente do que isso lhes mostre, porque ela os libertará. Tornem-se os seres soberanos que vocês verdadeiramente são, e permaneçam sempre na Presença iluminada da sua Alma.

Tenham um eclipse abençoado e mágico, meus amados!

Com amor e luz infinitamente

Natalia Alba

Leia a matéria completa:
https://omundodegaya.wordpress.com/2017/02/25/eclipse-solar-26-de-fevereiro-sera-um-processo-de-purificacao-sem-precedentes/
🌾

Imagens: google.com


quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Se não for hoje, um dia será

"Se não for hoje, um dia será. Algumas coisas, por mais impossíveis e malucas que pareçam, a gente sabe, bem no fundo, que foram feitas para um dia dar certo".

(Caio F. Abreu)
🌾

Imagens: google.com


Prosperidade Financeira - fator de abundância

Síntese de "Resgate" -

A prosperidade financeira será mais facilmente materializada quando você usa O FATOR DE ABUNDÂNCIA que a sua casa interna possui.

O que é isso? Como se faz isso?

A casa interna de cada um é a vibração (emoção/sentimentos exteriorizados nas suas atitudes).

E ao reconhecer e aceitar o lado Luz e o lado Sombra que você tem em si e ao empregar em equilíbrio esses dois lados: sua casa interna pode usar o FATOR DE ABUNDÂNCIA.

Fator de abundância é o resultado da soma Luz + Sombra.

É feito o que ocorre quando se mistura abacate + leite. Surge a vitamina (que nem é leite nem é abacate).

Fator de abundância é o que possibilita o salto quântico de prosperidade financeira na vida material.

Mestre Maura de Albanesi diz que enquanto as habilidades são o que se aprende pelo estudo, pela técnica e pela prática; as qualidades são A FORMA como você emprega as habilidades.

E o que atrai a materialização da Prosperidade financeira na própria vida é O COMO (a maneira de) você gerir as habilidades.

Ao gerir a habilidade empregando Luz e Sombra em equilíbrio, você terá maior probabilidade de alcançar SUCESSO nos relacionamentos e subsequentemente a materialização da Prosperidade financeira ocorrerá!

O estudo de 5 arquétipos possibilita reconhecer 5 fatores de abundância presentes NO SER HUMANO (geral).

Individualmente: cada pessoa tem apenas um fator de abundância (mas você pode reconhecer afinidade com mais de um arquétipo humano).

Mestre Maura de Albanesi ensinou: primeiro reconheça A LUZ. Segundo: exagere ao extremo essa Luz e você verá A SOMBRA. Terceiro: una Luz e Sombra para chegar no fator de abundância.

Da belíssima explanação, Mestre Maura explicou:

1 - Luz de determinado. Sombra de teimoso (aquela pessoa que até empaca enquanto não obtiver sucesso nas próprias ideias). Ponto de equilíbrio (FATOR DE ABUNDÂNCIA): FOCO. A flexibilidade e rapidez em gerir as situações da vida MANTENDO O FOCO NO OBJETIVO DESEJADO.

2 - Luz de cuidador. Sombra daquela pessoa que até sufoca o outro por acolher demais. Ponto de equilíbrio (FATOR DE ABUNDÂNCIA): observador. O talento de conhecer o que acontece (analisar) o seu ao redor.

3 - Luz de ouvinte. Sombra daquela pessoa que até paralisa (ouve, ouve, ouve e nada realiza). Ponto de Equilíbrio (FATOR DE ABUNDÂNCIA): ampliação. O talento de ressignificar e ampliar a visão de mundo por agregar o conhecimento interno ao conhecimento advindo das experiências exteriores.

4 - Luz de comunicador. Sombra do exacerbado (aquela pessoa que só fala, fala e fala muito). Ponto de equilíbrio (FATOR DE ABUNDÂNCIA): dar e receber. Necessário se conscientizar da necessidade de trocar (ouvir também) e com isso ser um excelente captador de recursos.

5 - Luz de criativo. Sombra do devaneio (aquela pessoa que entra na ilusão e nada concretiza por sonhar demais). Ponto de equilíbrio (FATOR DE ABUNDÂNCIA): Conhecer a realidade; exatidão sobre a realidade da situação.

Ao reconhecer sombra/Luz posicionando-se em algum dos arquétipos humanos explanado e ao usar o seu fator de abundância: você poderá dar um salto quântico de prosperidade financeira.

Jill Kusano
🌾

Imagens: google.com


segunda-feira, 7 de novembro de 2016

O Equilíbrio

Na vida há momentos em que somos levados a prados floridos e verdejantes, outros em que damos por nós em vales e em becos sem-saída. Assim é a vida, e querer fugir disso é mantermos enclausurada uma parte importante e vital de nós próprios. Nestes caminhos somos convidados a observar e agir perante o que a experiência dá a sentir. Somos convidados a observar a forma e grau de interesse e apego com que nos deixamos identificar por uma das partes e ao mesmo tempo criando aversão e resistência à outra. Persistiremos assim no não reconhecimento de partes de nós próprios que fazem de nós seres humanos sensíveis, emotivos, racionais e conscientes. Por muito que evitemos olhar para essas partes, enquanto não forem resgatadas do inconsciente e reconhecidas no consciente e integradas, esse não reconhecimento e resistência manifesta-se no exterior através da forma como sentimos atração ou aversão por ele.

Por vezes procuramos pelo branco, quando o que precisamos é o preto. Por vezes encontramos o preto e mais tarde torna-se branco. Somos constante mudança, e a vida é mudança. Por vezes optamos pela reação desde a defesa daquilo que acreditamos ser o seguro, o conhecido e confortável para a nossa pessoa. Tendo integrado partes do inconsciente, responderemos perante o desconhecido com uma atitude de neutralidade, aceitação, fluidez, reconhecimento e gratidão. Por um lado, uma ação brota desde a mente/ego que tende a querer controlar e proteger uma parte inconsciente do passado; a outra brota como resposta desde a inteligência cardíaca sempre presente do e no coração, através de um impulso oriundo desde o profundo inerente do indivíduo, para lá e apesar dos seus filtros mentais.

Uma vez que estas aparentes distintas formas de lidar com a experiência sejam tornadas conscientes, convém agora estar atento a quando se tende a “querer” manter ou agarrar o equilíbrio. Essa atitude será espelho da tentativa da mente de querer controlar algo, querer manter o equilíbrio. Reconhecido isto, o equilíbrio não se ganha nem se adquire, antes se perde dissipando-se nevoeiro do inconsciente que nos levava a acreditar e a identificar com a dependência do “querer” e do conceito, do alimento para a mente. Assim, para lá do conceito, o equilíbrio aparece, tal como o Sol que sempre lá esteve atrás das nuvens que o encobriam.

Tal equilíbrio desponta desde uma vulnerabilidade consciente que aprende a contornar e a reconhecer-se a si mesma ao longo do rio da vida e em tudo aquilo que o mesmo possa conter… Aceitando pontes, flores ou rochas no rio contidos, e assim deixá-las para trás, libertando-as não a elas mas à identificação que se tinha para com elas. Contornando-as, sem as combater, julgar ou rejeitar. Ser vulnerável é assim coragem de Ser a essência essencial para si mesmo e permitir que essa fragrância seja emanada ao longo do rio, preservando e honrando a presença profunda e integral. Daí advém a sua força, amorosa e integrativa. Ser vulnerável é assim não sinal de fraqueza mas de força sustentada.

Eventualmente, chegará o momento de libertar também o conceito de equilíbrio, o conceito, a mente dual, para que a essência do profundo se expresse desde o centro e se manifeste através das mãos, a origem da ação, manifestação e co-criação consciente. Naturalmente essa ação será reflexo de um equilíbrio que não depende nem do exterior nem tão pouco da forma como a mente o interprete, mas sim do estado natural que vem desde o mais profundo, outrora visto e entendido como separado, mas agora reunido pelas olhos, pés e mãos conscientes daquele que agora observa, reconhece, respira, integra, caminha e vive o caminho do meio.

... Caminha, viajante.

Namastê,

Jorge Miguel Porfírio
🌾

Imagens: google.com


Inteiridade

Inteiridade é presença naquele que reconhece e ilumina partes individuais de si mesmo e as integra. É um processo no qual o consciente deve reconhecer e iluminar (tornar conhecido ou consciente) o subconsciente para que juntos possam observar e integrar o inconsciente (desconhecido).

oceano da consciência, tudo é expressão dela própria em diferentes formas e fases:

- O consciente é a forma manifesta da consciência (Shakti) na qual a mente se identifica com a matéria (Prakriti) e a vive (lila). A mente torna-se ego pessoal (Ahamkara), e a consciência torna-se o inteleto (Budhi).

- O subconsciente é o sem-forma manifesto da consciência (Shiva) em que o coração sente e a mente interpreta e distorce. Emoções, sentimentos, memórias, crenças, arquétipos, criança-interior e padrões ou tendências psicoemocionais e comportamentais (vasanas e samskaras). A mente torna-se impessoal (búdica) e a consciência torna-se o self (Atman).

- O inconsciente é o não manifesto (Brahman), o princípio divino, a fonte que une. A mente torna-se não mente (Moksha) e a Consciência (Purusha) torna-se presença Transpessoal, para além do pessoal e individual.

Inteiridade é o reconhecimento direto que a ilusão (maya) da torção é o infinito distorcido por aquilo que é manifesto nele próprio. Iluminar é o reconhecer direto da torção na forma.

Tudo é... Consciência Pura.

Jorge M. Porfírio "Até que você faça o inconsciente consciente, o subconsciente vai continuar a conduzir a sua vida, e você vai chamá-lo de destino." - Carl Jung

"Não há despertar de consciência sem dor. As pessoas farão de tudo, chegando aos limites do absurdo para evitar enfrentar a sua própria alma. Ninguém se torna iluminado por imaginar figuras de luz, mas sim por tornar consciente a escuridão."

'A Prática da Psicoterapia' - Carl Jung Namastê

fonte: wwwraiosdomesmosolblogspotcom
🌾

Imagens: google.com


Ilumine as suas limitações

Não examines as limitações alheias. Examina o que fazer para mudar as tuas. Ensinamentos de Dakini

Uma frase tão breve e tão verdadeira, uma luz de sabedoria. Pelo menos a mim ela ilumina, sem dúvida. Ninguém chega a lugar algum tentando mudar os outros; mesmo assim, é o que acabamos fazendo o tempo todo. Essa é a desculpa que encontramos para não mudar a nós mesmos. E é por isso que as limitações que mais nos irritam nos outros são justamente as que encontramos em nós.

Durante as aulas que dou na faculdade, sou obrigado a examinar as limitações dos alunos. Ao fazer isso, tento ensinar cada um deles a fazer o mesmo por si próprio. Quando erro com eles (às vezes, literalmente), eu erro comigo. Olhando rapidamente para as suas limitações, eu me enxergo profundamente. Mesmo quando temos de prestar atenção nas limitações alheias, aprendemos mais examinando a nós mesmos. Mudar não é apenas a melhor maneira de nos ajudarmos; é a melhor maneira de ajudar os outros.

Franz Metcalf

No livro - O que Buda Faria - pg28
🌾

Imagens: google.com


Renovar todo dia

Não é estranho? Passar todos os dias do ano, 365 dias esperando pra renovar sua esperança, 52 semanas de expectativa aguardando o futuro.

Me questione, mas é um ano novo, tudo novo. Mas amanhã também não é um dia novo? Outro mês também não é um mês novo? Ou até mesmo a semana que vem não é inédita? Pra que esperar todo esse tempo para ter esperança por algo melhor, para aquecer uma paixão, para tentar um novo amor, para procurar emprego, para parar de fumar. Ano Novo é somente um ano novo, nada de mais, porque não podemos fazer isso em um dia novo, uma semana nova ou até mesmo em uma hora nova?

Se na passagem do ano vários problemas somem, pessoas chegam a chorar, é tudo muito emocionante. Ano Novo, vida nova. Vamos começar de novo, mais um ciclo, mais uma volta em torno do sol. E daí? Tente fazer isso todo dia, renove sua esperança a cada volta da Terra em torno do seu próprio eixo, renove sua vida a cada noite, durma uma pessoa e acorde outra. Nada é tão bom quanto a emoção do novo, tente isso todo dia!

Luciane C. Faneco
🌾

Imagens: google.com